Cadastro Positivo: O que é, Como Funciona

Seu currículo de bom pagador está como? Hoje o Cadastro Positivo é o mais importante histórico financeiro, onde empresas se espelham nele para poder conceder benefícios, financiamentos e facilitar na hora de empréstimo e outros serviços que possam envolver dinheiro.

Nenhuma empresa quer conceder benefícios financeiros para aqueles que não são bons pagadores, porém muitos brasileiros, por mais que possam honrar suas contas em dia, não possuem um histórico que comprove essa honestidade.

O Cadastro Positivo neste ano de 2019 se tornou um poderoso meio de consultas na concessão de crédito, pois o Governo Federal, permitiu a inclusão automática de todos os cidadãos que fazem o pagamento em dia de suas contas.

Até o dia 08 de abril, era necessário que o cidadão fizesse a inclusão dos seus dados no sistema, o que para a grande maioria da população era algo difícil e complicado de fazer.

cadastro positivo
pontuação score do cadastro positivo

Cadastro Positivo garante Crédito mais barato

O Brasil está vivendo um momento onde a concessão de crédito está cada vez melhor. A taxa Selic chegou ao seu menor patamar, 4,5%, o que vem contribuindo para os brasileiros darem início no sonho da casa própria e outros que possam custar um pouco mais.

A inclusão obrigatória de pessoas físicas e empresas no Cadastro Positivo, tem barateado ainda mais o crédito.

O que é o cadastro positivo?

Este é um banco de dados federal onde as principais agências de crédito reúnem suas informações sobre consumidores. Lá está o histórico financeiro de bons e maus pagadores, onde a concessão de serviços financeiros, porcentagem de juros e outros fatores, são feitos com base neste histórico.

Hoje a inadimplência no Brasil já atinge cerca de 60 milhões de pessoas. O objetivo do Cadastro Positivo automaticamente é justamente contribuir para a redução deste número.

Como funciona o cadastro neste histórico?

Até o início deste ano ele precisava ser autorizado através do Serasa. Era possível fazer a autorização em agências, carta ou até mesmo pelo site. Porém agora com a inclusão automática, muitos estão passando para esta nova modalidade, que acaba dispensando o fato de “você ter que ir atrás”.

Depois de seus dados estarem devidamente cadastrados no sistema, toda sua movimentação financeira estará sendo avaliada. Então um histórico de bom ou mau pagador é gerado.

Uma vez o status sendo de bom pagador, há uma melhor negociação de dívidas, melhores taxas de juros e contratações financeiras mais fáceis.

Banco de dados

Ele é a referência para credores e varejistas (bancos e financeiras), para identificar se os seus futuros clientes são bons ou mal pagadores.

A empresa irá definir os riscos de calote, onde se for mais alto, as taxas de juros serão maiores, sendo baixo, as taxas também diminuem e as condições são sempre as melhores.

Muitas empresas acabam até negando o crédito com base neste banco de dados financeiros.

Score de crédito

O score é outro termo que todo mundo já ouviu falar. Esta é uma nota de crédito que mede o risco que um cidadão pode proporcionar a um credor caso venha a realizar algum negócio.

Um score é dividido entre as seguintes categorias:

  • Risco baixo;
  • Risco médio;
  • Risco alto.

O Cadastro Positivo está diretamente ligado ao Score, onde os pontos acabam subindo ou diminuindo conforme o histórico financeiro.

Se tratando das categorias de risco, a pontuação do score funciona de 0 a 1000 pontos, onde quanto menor a pontuação, mais alto o risco em realizar uma operação financeira com o cidadão em questão.

A pontuação conforme os riscos funcionam da seguinte maneira:

  • Pontuação de 0 a 299 pontos, o risco é alto;
  • Pontuação de 300 a 699 pontos, o risco é médio;
  • E pontuação de 700 a 1000 pontos, o risco de inadimplência é baixo.

Fatores que aumentam ou diminuem os pontos do Score

Há diversas empresas que fazem a avaliação de sua pontuação financeira. Entre elas estão o Serasa e o SPC. Como são diferentes, o método de avaliação para definir uma nota também pode variar, mas normalmente os fatores primordiais são:

  • Pagamento em dia das contas;
  • Comprometimento salarial, sendo ideal que seja menor que 30% com financiamentos;
  • Baixa movimentação financeira. Quem não é “visto” não é lembrado. Mesmo não tendo dívidas, é importante que o cidadão tenha algum tipo de movimentação para que as empresas possam avaliar o comportamento financeiro.

Tudo isso acaba influenciando na pontuação final.

Deixe um comentário